Você está em
  1. > Home
  2. > Usuários
  3. > brunodiasa
22 years Gaspar - (BRA)
Usuário desde Abril de 2014
Grau de compatibilidade cinéfila
Baseado em 0 avaliações em comum

Últimas opiniões enviadas

  • Bruno  Alves Dias

    Juro que esperava mais. O longa de André Øvredal até possui uns segmentos legais e criaturas bem a cara do Del Toro, mas a trama chega ser simples, nada de novo, nada de atrativo visualmente, bem convencional mesmo, um filme facilmente para ser exibido na sessão da tarde.

    Os personagens também não fazem muito embora o clima de Stranger Things esteja presente em cada minuto do filme. Uma aventura com toques de terror, referencias e homenagens do gênero, confira em um domingo chuvoso, um entretenimento rápido e esquecível.

    nota: 5,0

    Você precisa estar logado para comentar. Fazer login.
  • Bruno  Alves Dias

    de imediato Parasita é um filme bem esquisito (mas isso no melhor sentido possível da palavra), o filme te joga em uma trama absurda que te convence logo de cara, os protagonistas te cativam e nos primeiros 40 minutos você se encontra no meio dessa "jornada" cheia de humor negro, uma pitada de suspense e um drama convencional.

    Olhando o currículo do diretor, Bong Joon-ho, não é de se surpreender o cara é um gênio do cinema sul coreano e mais uma vez ele joga todo seu talento em Parasita, o roteiro é muito bem conduzido, as motivações os plots funcionam cada um em seu devido tempo. Eu resumo o filme em duas partes, os primeiros 50 minutos é a introdução da família e o restante do longa é loucura atrás de loucura.

    Uma aula de como fazer cinema com pouco, de construção de ambiente e personagens. Parasita é uma jornada absurdamente louca com um roteiro muito original, trágico e cômico (não necessariamente nessa ordem)

    Nota: 10.0

    Você precisa estar logado para comentar. Fazer login.
  • Bruno  Alves Dias

    Que conjunto de experiencias sensacionais. É tão difícil descrever um filme que você tem tanto pra falar, só a méritos no longa de Todd Phillips que talvez tenha sido a grande surpresa do filme, o diretor conhecido por comédias, larga a mão do gênero e cria essa experiencia sem limites chamada Coringa.

    A experiencia é desconfortante, tenso, suja, você cria empatia e esse é o foco, você entra na mente de Arthur Fleck entende suas motivações, seus objetivos e toda sua frustração e não sei ate que ponto é certo falar isso, mas sei que conseguirem em cheio. A tanto subtexto nesse filme, a imagem de uma revolução, a burguesia capitalista, a desigualdade social, a opressão da sociedade e acima de tudo a mídia, esse filme homenageia a obra Frank Miller em momentos excelentes (para quem leu Cavaleiro das Trevas vai pegar!)

    Acima de qualquer experiencia, o filme é uma obra cinematográfica sem precedentes, a câmera sempre em movimentos, focos muito fechados, ambientação e fotografias sujas, uma trilha sonora que evoca muitos segmentos.

    Claro que nada disso valeria a pena se personagem titulo não fizesse jus, tudo que eu escrever aqui já foi dito centena de vezes e vai ser dito milhares ainda, mas Joaquin Phoenix é uma força nesse filme, o longa é dele, e ele se da por completo, voz, corpo, movimento.

    A muito para ser dito sobre Coringa, nada que uma mesa de bar e algumas cervejas não resolvam, mas o veredito rápido é que esse filme já é um clássico, vale cada segundo, não tenham dúvidas.

    Nota: 10.0

    ps.: os primeiros 40 minutos me arrancaram algumas lágrimas, principalmente a cena no ônibus.

    Você precisa estar logado para comentar. Fazer login.
  • Nenhum recado para Bruno Alves Dias.

Este site usa cookies para oferecer a melhor experiência possível. Ao navegar em nosso site, você concorda com o uso de cookies.

Se você precisar de mais informações e / ou não quiser que os cookies sejam colocados ao usar o site, visite a página da Política de Privacidade.