Você está em
  1. > Home
  2. > Artistas
  3. > Victor Mature
38Número de Fãs

Nascimento: 29 de Janeiro de 1913 (86 years)

Falecimento: 4 de Agosto de 1999

Rancho Santa Fé, California - Estados Unidos da América

Victor John Mature (Louisville, Kentucky, 29 de janeiro de 1913 — Rancho Santa Fé, Califórnia, 4 de agosto de 1999) foi um ator norte-americano. Seu pai, Marcellus Gelindo Mature (ou no italiano, Maturi), era um cuteleiro italiano que sabia falar alemão, que migrou da Itália para os Estados Unidos com sua família em 1912, para fugir da dominação Áustro-Húngara, e sua mãe, Clara Mature, era de origem suíça.

Esperando se tornar um ator, estudou no Playhouse de Pasadena, Califórnia. Conseguiu uma audiência para um teste com a intenção de conseguir um papel no clássico “E O Vento Levou”, em 1939, mas perdeu para seu colega do Playhouse, George Reeves, o futuro Super-Homem da Televisão na década de 1950.

Como muitos outros astros de Hollywood alistaram-se para o Serviço de Guerra, como James Stewart, Alan Ladd e Clark Gable, Victor Mature alistou-se na Marinha durante a Segunda Guerra Mundial, onde serviu em um navio de transporte de tropas. Atravessou o Atlântico norte, incluindo a Normandia, o Mediterrâneo, e o Caribe. Estava em Okinawa quando a Bomba Atômica foi jogada no Japão.

Com o fim da guerra, voltou para Hollywood e trabalhou mais do que nunca. Seus papéis em “Paixão dos Fortes”, de John Ford, em 1946, e “O Beijo da Morte”, de Henry Hathaway, são considerados seus trabalhos mais consagrados. Posteriormente, locomoveu-se para papéis mais exóticos, principalmente em épicos, como “Sansão e Dalila”, de Cecil B. DeMille, em 1949; “O Manto Sagrado”, de Henry Koster, em 1953; “Demétrius e os Gladiadores”, de Delmer Daves, em 1954; e em “O Egípcio”, de Michael Curtiz, em 1954. Até o surgimento de Charlton Heston, Mature foi o astro dominante do cinema “Épico Bíblico” que vigorava em Hollywood. Victor ainda atuou em diversas películas de comédia, criminais, guerra, e faroeste, interpretando aventureiros, caubóis, policiais, soldados, e até índios. Jamais foi um astro de pretensões artísticas, mas continuou se mantendo como um dos maiores campeões de bilheteria da década de 1950.
A partir da década de 1960, Victor diminuiu seu ritmo de atuações no cinema, interessando mais em se dedicar ao golfe e ao ramo imobiliário, onde se destacou como corretor, inclusive abrindo sua própria firma. Em 1966, aceitou fazer uma paródia de si mesmo, interpretando um ator de meia idade ainda metido a galã, na película “O Fino da Vigarice”, dirigido por Vittorio de Sica.

Mature dedicou-se ao golfe, e sempre dizia que era mais fácil jogar do que atuar. Ele dizia: “Realmente, eu sou um jogador de golfe. Esta é minha ocupação real. Eu nunca fui um ator, pergunte a qualquer um, particularmente, a todos os críticos".
Com aceitação de algum crítico ou não, em 1984 Victor deu um intervalo para seu esporte favorito e fez uma pequena participação na televisão em um telefilme, um remake de “Sansão e Dalila”, onde aos 71 anos de idade estava interpretando o pai de Sansão. Foi sua última atuação como ator.
Longe da vida artística e das agitações hollywoodianas, e levando uma vida pacata em seus últimos anos, morando com sua família em seu rancho localizado em Santa Fé, Califórnia, Victor Mature morreu em 4 de agosto de 1999, aos 86 anos de idade, de leucemia, deixando a esposa Loretta e sua filha Victória. O ator foi sepultado no memorial da Família Mature, em Kentucky.