Você está em
  1. > Home
  2. > Artistas
  3. > Elke Maravilha

Elke Maravilha

Nomes Alternativos: Elke Giorgierena Grunnupp Evremides

118Número de Fãs

Nascimento: 22 de Fevereiro de 1945 (71 years)

Falecimento: 16 de Agosto de 2016

Leningrado, Atual São Petersburgo, Rússia - Rússia

Elke Maravilha, nome artístico de Elke Giorgierena Grunnupp Evremides (Leningrado, atual São Petersburgo, 22 de fevereiro de 1945), é uma manequim, modelo e atriz nascida na Rússia, naturalizada como alemã, mas que vive no Brasil desde a infância.

Filha de um russo e de uma alemã, Elke nasceu na Rússia. Seus pais foram perseguidos por Stalin e resolveram emigrar para o Brasil quando tinha seis anos de idade.

Instalaram-se em Itabira e depois de alguns anos, se mudaram para Jaguaraçu, interior de Minas Gerais, onde Elke foi criada. Elke foi naturalizada brasileira, mas perdeu sua cidadania após se manifestar contra a ditadura militar, tornando-se apátrida. Ficou seis dias presa e sendo torturada pelos militares. Só conseguiu sair da cadeia ao dizer que conhecia o filho de Zuzu Angel e porque a amiga arranjou um delegado que a tirou de lá. Anos depois, requisitou a cidadania alemã, a única que possui atualmente.

Começou a carreira de modelo e manequim aos 24 anos com Guilherme Guimarães, tendo trabalhado para grandes estilistas, considerada como inovadora nas passarelas. Elke é professora, tradutora e intérprete de línguas estrangeiras, incluindo o latim. Foi bancária, secretária trilíngue e bibliotecária. Foi também a mais jovem professora de francês da Aliança Francesa e de inglês na União Cultural Brasil – Estados Unidos. Fala nove idiomas: O russo, o português, o alemão, o italiano, o espanhol, o francês, o inglês, o grego e o latim. Seu desempenho como a dona de um bordel na minissérie Memórias de um Gigolô foi tão arrebatador que foi convidada a ser madrinha da Associação das Prostitutas do Rio de Janeiro.

Foi casada 8 vezes, fez três abortos e não se arrepende, já que nunca quis ter filhos e nem se considerava talentosa para ser mãe, não queria ter filhos e não saber dar amor e educação da forma como mereciam. Até hoje é amiga de todos os seus ex-maridos, menos de 1 que era extremamente agressivo e ciumento. Está casada a 11 anos com um homem 27 anos mais novo e diz que não tem preferência por mais velhos ou mais novos, fala que namorou todo tipo de homem e que não tem um tipo de homem, tem pressa.

Muito alta, começou sua carreira como manequim e modelo. Nos desfiles conheceu a estilista Zuzu Angel e ficaram amigas. No filme Zuzu Angel que estreou em 2006, Elke foi interpretada por Luana Piovani. Ela ainda aparece em participação especial cantando num cabaré a música alemã 'Lili Marlene', da cantora e atriz Marlene Dietrich. O filme aborda a amizade de Elke com Zuzu, e conta o episódio de sua rápida prisão por desacato durante o regime militar brasileiro, fato que fez Elke perder sua nacionalidade brasileira.

Elke Maravilha tornou-se popular na TV brasileira nos anos 70 e 80, aparecendo como jurada de programas de calouros cantores do Chacrinha e de Silvio Santos. Nesses programas sempre usava perucas e roupas chamativas e buscava passar mensagens positivas para os espectadores.