Este site usa cookies para oferecer a melhor experiência possível. Ao navegar em nosso site, você concorda com o uso de cookies.

Se você precisar de mais informações e / ou não quiser que os cookies sejam colocados ao usar o site, visite a página da Política de Privacidade.

    Você está em
  1. > Home
  2. > Artistas
  3. > Isabel Ribeiro

Isabel Ribeiro

Nomes Alternativos: Frederica Isabel Iatti Ribeiro

10Número de Fãs

Nascimento: 8 de Julho de 1941 (48 years)

Falecimento: 13 de Fevereiro de 1990

São Paulo, São Paulo - Brasil

Isabel Ribeiro (São Paulo, 8 de julho de 1941 — Jundiaí, 13 de fevereiro de 1990) foi uma atriz brasileira.

Nascida Frederica Isabel Iatti Ribeiro, ela sonhava em ser médica e trabalhar em pesquisas. Descendente de uma pequena família de imigrantes poloneses, teve que abandonar os estudos antes de ingressar na faculdade e ir trabalhr para ajudar a família.
O teatro surgiu meio por acaso quando fazia um curso de política estudantil. Seu primeiro trabalho como atriz foi na peça infantil A Bruxinha que Queria Ser Boa, em 1962.
Foi levada por Augusto Boal para o Teatro Arena nos anos 60 e entrou para a TV (anos 70) destacando-se primeiro em telenovelas da TV Tupi e depois na Rede Globo. De todos os trabalhos que fez em TV ela mesmo destacava como os mais importantes a Sonia de Duas Vidas, novela de Janete Clair e a Consuelo de Sinal de Alerta, escrita por Dias Gomes. Mas outro trabalho sensível de Isabel Ribeiro foi na novela Sol de Verão de Manoel Carlos em 1983.
No cinema ganhou vários prêmios como melhor atriz e trabalhou com consagrados diretores, como Cacá Diegues, Leon Hirszman e Arnaldo Jabor, entre outros. Seus maiores sucessos no cinema foram em São Bernardo; Os Condenados e Parceiros da Aventura. Seus últimos papéis de destaque foram como a enfermeira Gisela de Feliz Ano Velho, adaptação dirigida por Roberto Gervitz para o romance de Marcelo Rubens Paiva, e o de uma solitária dona de casa no curta-metragem A Voz da Felicidade (1988), dirigido por Nelson Nadotti e adaptado de uma crônica de Luís Fernando Veríssimo.
Foi casada com o ator Altair Lima e teve três filhos. A atriz detectou um pequeno tumor no seio quando gravava a novela Helena, na TV Manchete, e morreu pouco mais de um ano depois.