Você está em
  1. > Home
  2. > Artistas
  3. > Jayme Monjardim
75Número de Fãs

Nascimento: 19 de Maio de 1956 (60 years)

São Paulo - Brasil

É considerado uma personalidade polêmica dentro da televisão, principalmente devido aos não raros conflitos que trava com autores dos textos que dirige.
Iniciou sua carreira na televisão em meados dos anos 80, co-dirigindo telenovelas como Partido Alto, Roque Santeiro e Sinhá Moça. Sua primeira direção-geral ocorre em Direito de Amar, telenovela de época de Walter Negrão, exibida na faixa das 18 horas. Em 1989 é contratado pela extinta Rede Manchete, dirigindo o grande sucesso Pantanal, de Benedito Ruy Barbosa. Na emissora ainda dirige a macrossérie O Fantasma da Ópera. Durante a primeira metade da década de 1990, participa de várias produções independentes, como a telenovela A Idade da Loba, da produtora TV Plus, exibida na Rede Bandeirantes.
Volta para a Globo em grande estilo, dirigindo a minissérie Chiquinha Gonzaga, em 1999. No mesmo ano, reata sua parceria com Benedito Ruy Barbosa, dirigindo a telenovela Terra Nostra, grande sucesso do ano de 1999. Em 2000, dirige a minissérie Aquarela do Brasil, de Lauro César Muniz, um fracasso. Rompe com Benedito, que o acusa de ter "roubado" a ambientação, uma vez que pretendia fazer uma continuação de Terra Nostra ambientada na década de 1940, retratada por Aquarela. Nesse mesmo trabalho conseguiu também arrumar outro desafeto: o próprio Lauro César Muniz, que se pronunciou publicamente contra a interferência de Jayme no seu trabalho.
Em 2001 inicia uma parceria de grande sucesso com Glória Perez, dirigindo a telenovela O Clone. Em 2003 dirige e produz a minissérie A Casa das Sete Mulheres.
Jayme tem um estilo peculiar de direção, dando tons oníricos às cenas, criticado por muitos pela sua lentidão e pelo uso excessivo de closes. Desde Pantanal mantém como parceiro o produtor musical Marcus Viana. As opiniões da imprensa e dos fãs não são unânimes quanto a Marcus. Muitos consideram suas trilhas insuportáveis e repetitivas, ao mesmo tempo que são consideradas por outros poéticas e belas.
Em 2005 rompe sua parceria com Glória Perez, devido a discrepâncias relativas aos rumos que a telenovela América tomava. Glória desagradou-se com a "sujeira" na fotografia da telenovela e com o tom exagerado e irreal que a direção de Jayme dava à personagem Sol, de Déborah Secco. Com Jayme fora, tudo na telenovela foi trocado e a audiência melhorou. A trama ganhou um tom mais alegre, a música de abertura e a própria abertura foram mudadas e toda a trilha sonora composta por Marcus Viana saiu do ar. Ele foi substituído por Marcos Schetchman na direção da trama.
Em 2006, dirigiu a novela Páginas da Vida, de Manoel Carlos, na sua primeira parceria com o "autor do Leblon". Desta vez, segundo a imprensa, sem a participação de Marcus Viana na trilha-sonora (de acordo com o que foi divulgado, por pedido do próprio Manoel Carlos).
Em 2008, gravou a minissérie Maysa - Quando Fala o Coração, contando a história de sua mãe, uma cantora de vida boemia e depressiva. A minissérie foi protagonizada por Larissa Maciel e seus dois filhos Jayme Matarazzo e André Matarazzo interpretam o próprio pai na minissérie, exibida em nove capítulos no mês de Janeiro de 2009 e escrita também por Manoel Carlos.
O novelista e o diretor voltam a trabalhar juntos na novela Viver a Vida, nova trama das 21h, cuja estreia ocorreu no dia 14 de Setembro de 2009 e protagonizada por Taís Araújo (que vive a primeira protagonista negra de uma novela das 21h da Rede Globo) e José Mayer.