Você está em
  1. > Home
  2. > Artistas
  3. > Vittorio De Sica
486Número de Fãs

Nascimento: 7 de Julho de 1901 (73 years)

Falecimento: 13 de Novembro de 1974

Frosinone, Lazio - Itália

Considerado com justiça o Pai do Neorrealismo italiano ao lado de Roberto Rosselini, foi ao lado do amigo Fellini, os únicos a levarem 4 Oscars por Filmes Estrangeiros, De Sica levou por - ''Vítimas da Tormenta'' (1946); ''Ladrões de Bicicletas''' (1948); ''Ontem, Hoje e Amanhã'' (1963), e ''O Jardim dos Finzi Contini '' (1970).

Vittorio De Sica (pronúncia italiana: [vittɔːrjo de Sika] ; 07 de julho de 1901 - 13 de novembro de 1974) foi um italiano diretor, roteirista, produtor e ator, uma figura de liderança no movimento neo-realista.
O cinema neorrealista italiano caracterizou-se pelo uso de elementos da realidade numa peça de ficção, aproximando-se até certo ponto, em algumas cenas, das características do filme documentário. Ao contrário do cinema tradicional de ficção, o neo-realismo buscou representar a realidade social e econômica de uma época. O Neorrealismo italiano, por características comuns entre as obras e por uma ideologia difundida entre seus realizadores, tanto estética quanto política, constitui um "estilo de época" do Cinema. Teve lugar e tempo na Itália do final da Segunda Grande Guerra, em processo de "libertação" do regime fascista, como veículo estético-ideológico da resistência. Hasteava a bandeira da representação objetiva da realidade social como forma de comprometimento político. Seu período mais produtivo e significativo ocorreu entre 1945 e 1954.
Seus temas protagonizados por pessoas da classe operária imersas em um ambiente injusto e fatalista, sempre encontrando a frustração na eterna busca por melhores condições de vida, foram trazidos por influência do realismo poético francês.
Luchino Visconti, Roberto Rossellini, Cesare Zavattini e Giuseppe Amato, deram o ponta pé inicial, mais foi mas é com Vittorio De Sica que o Neo-Realismo produz uma das obras mais expressivas e emblemáticas de sua estética. O filme ''Ladri di biciclette'' (1948) contém os principais elementos do filme Neo-Realista: a temática dos problemas sociais, a criança, os atores iniciantes ou desconhecidos, a ambientação in loco, a ausência de apelos técnicos ou dramatúrgicos e ao mesmo tempo um intenso conflito na trama (também escrita por Zavattini). Pela história do homem recém-empregado que tem seu instrumento de trabalho — a bicicleta — roubado, e assim ameaçado de perder o emprego, De Sica emoldura um quadro da classe trabalhadora urbana de então, assombrada pelo desemprego.
Apesar de haver um certo consenso quanto às suas características, não existe uma delimitação exata quanto ao período de duração do movimento.

Na verdade, o grande sucesso de crítica de ''Vítimas da Tormenta/Sciuscia'' (o primeiro filme estrangeiro ser reconhecido como tal pela Academia de Artes e Ciências Cinematográficas ) e Ladrões de Bicicletas ajudou a estabelecer a permanência da categoria de Melhor Filme Oscar Exterior. Estes dois filmes geralmente são considerados parte do cânone do cinema clássico. ''Ladrões de Bicicletas/Ladri di biciclette'', foi citado por Turner Classic Movies como um dos 15 filmes mais influentes da história do cinema.

Como ator seus maiores sucessos foram ''Madalena, Zero em Comportamento''; ''Bela e Canalha''; ''Pão, Amor e Fantasia''. ''Meu Filho Nero'', ''Adeus às Armas'', este último a atuação de De Sica foi considerado o ponto alto do filme, e lhe valeu uma indicação ao Oscar; ''De Crápula a Herói/l generale Della Rovere'', dirigido pelo amigo Roberto Rossellini, De Sica tem uma das mais belas atuações de todos os tempos mundialmente e o Sindicato Nacional italiano de jornalistas de cinema, o considerou o Melhor Ator do Ano, assim como no San Francisco International Film Festival.

Nascido na pobreza em Sora, Lazio (1901), ele começou sua carreira como um teatro de ator no início de 1920 e juntou-se Tatiana Pavlova companhia de teatro em 1923. Em 1933, ele fundou sua própria companhia com sua esposa Giuditta Rissone e Sergio Tofano . A empresa realizou sua maioria leves comédias , mas também foi palco de peças de Beaumarchais e trabalhou com diretores famosos como Luchino Visconti .

Seu encontro com Cesare Zavattini foi um evento muito importante: juntos eles criaram alguns dos filmes mais famosos da idade neorrealista , como ''Sciuscia''; Ladrões de Bicicletas (lançado como The Bicycle Thief na América), ''Humberto D.'' (1952); ''Duas Mulheres/La Ciociara'' (1960), sendo que todos De Sica, dirigiu.

Sua paixão pelo jogo era bem conhecida. Por causa disso, muitas vezes ele perdeu grandes somas de dinheiro e aceitou o trabalho que não poderia ter lhe interessar. Ele nunca manteve o jogo em segredo para ninguém; na verdade, ele projetou em personagens em seus próprios filmes, como ''Count Max'' (que ele agiu em, mas não dirigir) e ''O Ouro de Nápoles'', bem como em ''De Crápula a Herói'', um filme dirigido por Rossellini, em que De Sica jogou no papel-título.

Em 1937, Vittorio De Sica casou com a atriz Giuditta Risson , que deu à luz a sua filha, Emi. Em 1942, no set de ''Un garibaldino al convento'', ele conheceu a atriz espanhola Maria Mercader (irmã do Ramon Mercader , Leon Trotsky Assassin 's), com quem ele começou um relacionamento. Depois de se divorciar Rissone na França em 1954, ele se casou com Mercader em 1959 no México, mas esta união não foi considerada válida segundo a lei italiana. Em 1968 ele obteve cidadania francesa e se casou com Mercader em Paris. Enquanto isso, ele já tinha tido dois filhos com ela: Manuel, em 1949, um músico, e Christian, em 1951, que iria seguir o caminho do pai como ator e diretor.

Embora divorciados, De Sica nunca mais se separou de sua primeira família. Ele levou uma vida familiar dupla, com celebrações em dobro em feriados. Diz-se que, no Natal e na véspera do Ano Novo, que ele usou para colocar de volta os relógios em duas horas na casa de Mercader para que ele pudesse fazer um brinde à meia-noite com as duas famílias. Sua primeira esposa concordou em manter a fachada de um casamento de modo a não deixar sua filha sem pai.

Favorito de grandes como Ingmar Bergman, Stanley Kubrick, Martin Scorsese, Bernardo Bertolucci, Mira Nair e Woody Allen, De Sica se firmou como um dos maiores diretores de todos os tempos por produzir filmes simplistas e de caráter político, realista, vanguardista, dramático e artístico, que se tornaram cerne do cinema clássico mundial.

Vittorio De Sica morreu aos 73 depois de uma cirurgia no Neuilly-sur-Seine hospital em Paris. Ele era um católico romano.

Vittorio De Sica tinha prazer em trabalhar com atores como Marcello Mastroianni e Sophia Loren, seus amigos particulares, e os dirigiu em ''Ontem, Hoje e Amanhã'', ''Matrimônio à Italiana'' e ''Os Girassóis da Rússia''.

O Grande Diretor de Atores:
Mas De Sica é um diretor de atores tão esplêndido que faz atores não profissionais brilharem tanto quanto os mais experientes.

De Sica, Visconti, Antonioni, Fellini; participaram do neo-realismo italiano, o renascimento do cinema na Itália do pós-Guerra, o movimento que, sem ser propriamente um movimento, influenciaria o cinema do mundo inteiro no meio século seguinte, e transformaria o cinema italiano dos anos 40, 50 e 60 no melhor de todos os tempos.