Você está em
  1. > Home
  2. > Artistas
  3. > Tom Hollander
67Número de Fãs

Nascimento: 25 de Agosto de 1967 (50 years)

- Reino Unido da Grã-Bretanha e Irlanda do Norte

Tom Hollander nasceu em 25 de agosto de 1967. É o segundo filho de pais educadores. Passou a infância em Oxford (Reino Unido).
Quando criança, não gostou muito de seu tempo na Dragon School no norte de Oxford, mas as coisas começaram a mudar quando ele terminou os estudos e passou a frequentar a Escola Abingdon.
Aos quatorze anos ganhou um papel de protagonista para uma produção televisiva da BBC Leon Garfield's "John Diamond" de 1981. Um papel pelo o qual ele ainda é lembrado. Quando adolescente, Tom ganhou um lugar no Teatro Nacional da Juventude Musical e também o "National Youth Theatre", onde atuou em Brecht "The Caucasian Chalk Circle", com duplo papel.
Mais tarde, ingressou na Universidade de Cambridge, ao mesmo tempo que seu amigo de infância Sam Mendes, que o dirigiu em uma encenação polêmica de "Cyrano de Bergerac" em 1988. Outras colaborações com Mendes seguiram, incluindo o trabalho em conjunto com a "Royal Shakespeare Company" no "The Cherry Orchard" e várias obras no Festival de Teatro Chichester (1989), bem como a realização de Toronto "Kean" (1991) com Derek Jacobi.
Após a formação, Tom Hollander esperou conseguir uma vaga para a escola de teatro, mas acabou decepcionando-se. Porém, tal acontecimento não pode atrapalhar uma carreira que já se encontrava no bom caminho, porque desde sua primeira aparição percebía-se que sua reputação havia crescido consideravelmente.
Em 1992, ganhou o Ian Charleson Award por seu trabalho como Witwould em "The Way of the World" com Peter Gill. Mas no ano anterior já havia sido nomeado por "As You Like It with Cheek By Jowl". Em 1996 foi nomeado por sua performance como "Tartufo" e foi considerado mais uma vez indicado por Khlestakov de Gogol, "O inspetor geral" (1997), ambos com o Almeida Theatre Company.
Inevitavelmente, Hollander foi chamado para fazer filmes, e apareceu em dois no ano de 1996: True Blue (aka Miracle at Oxford) e Some Mother's Son (Mães em Luta (pt), recebendo boas críticas.
Mesmo sendo considerado um ator com natural facilidade para papéis cômicos, Hollander optou por desafiar tais suposições realizando trabalhos como o demente ditador fascista Maximillian II em "Terra de Ninguém" de 2006 ou como o Rei George V em "O Principe Perdido" de 2003 pela BBC.
Mais tarde, a grande bilheteria da Trilogia Piratas do Caribe permitiu que ele ficasse mais conhecido como o pequeno tirano Lorde Cutler Beckett (no segundo e terceiro episódio da série).
Tom Hollander continua com diversos trabalhos no palco, televisão e rádio como os audiobooks na qual ele empresta sua bonita voz para as narrativas, assim como para comerciais e até mesmo para animações.
Além disso, Hollander generosamente usa seu nome para uma variedade de causas sociais: Em 2006 ele correu sua primeira maratona para os Crisis Childline hot-line, e em 2007 concorreu ao Teenage Cancer Trust. Ele é um apoiante de longa data da Helen e Douglas House, em Oxford, que presta cuidados paliativos para crianças, e continua a apoiar organizações de caridade com as leituras e outras aparições ao longo do ano.
Hollander é patrono da BIFA, o British Independent Film Awards, e apoiou os esforços do "Old Vic's 24 Hour Plays New Voices" Gala, que encaminha a causa dos jovens escritores para a etapa britânica.
O ano de 2008 foi um ano movimentado. Ele recebeu boas críticas pelo personagem "Leon" da sátira série "Freezing" da BBC, exibida entre fevereiro e março.
Interpretou, de forma comovente, o rei George III para a HBO em "John Adams". Ainda contou no elenco do filme Operação Valkíria e como um violoncelista no filme "O Solista", de Joe Wright. Este que já havia dirigido Tom na versão de 2005 de Orgulho e Preconceito, filme no qual Tom Hollander interepreta Mr. Collins. Tal personagem rendeu a Hollander, em 2006, o Prêmio Petter Seller Comédia e o ALFS Award como o Melhor Ator Britânico Coadjuvante do Ano.
O ano de 2009 contou com importantes produções: A comédia "In The Loop" de Armando Iannucci onde Tom interpretou o Secretário de Estado britânico para o Desenvolvimento Internacional, Simon Foster. O filme recebeu uma indicação ao Oscar 2010 para Melhor roteiro adaptado, perdendo a estatueta para “Preciosa”. Para a TV duas mini-séries, "Desperate Romantics" onde Tom Hollander deu vida ao crítico e escritor inglês John Ruskin e na produção Gracie! onde ele viveu o diretor Monty Banks. Ambas séries produzidas pela BBC.
Em 2010, Tom assumiu o papel principal em uma comédia sobre um novo vigário de uma igreja em Londres,na mini-série intitulada "Rev.", no qual ele além de atuar, colaborou também com a criação.
Atualmente, Tom Hollander vive em Notting Hill.