Você está em
  1. > Home
  2. > Artistas
  3. > Blake Edwards
147Número de Fãs

Nascimento: 26 de Julho de 1922 (88 years)

Falecimento: 16 de Dezembro de 2010

Blake Edwards nasceu em Tulsa, Oklahoma (EUA), em 26 de julho de 1922, e o seu nome de batismo é William Blake Crump. Morando em Beverly Hills desde adolescente, Edwards fez o seu aprendizado dentro da indústria.

Começou como ator em 1942. Entre 1952 e 1962, escreveu roteiros para o diretor Richard Quine na Columbia. O seu primeiro sucesso, como diretor, foi Anáguas a Bordo,em 1959, comédia estrelada por Cary Grant e Tony Curtis.

Em 1961, Edwards ganhou o interesse da crítica com o romance Bonequinha de Luxo, baseado numa história de Truman Capote, estrelado por uma Audrey Hepburn em estado de graça e com trilha sonora composta por Henry Mancini, responsável pela maravilhosa música Moon River. Tanto Hepburn como Mancini foram indicados ao Oscar, e mesmo hoje, o filme continua sendo bastante elogiado. A partir de então, Mancini faria as trilhas de quase todos os filmes de Edwards.

Em 1962, Edwards foi ainda mais elogiado pelo drama sobre alcoolismo Vício Maldito, estrelado por Jack Lemmon e Lee Remick. Ambos foram indicados ao Oscar, junto com a canção Days of Wines and Roses, composta por Henry Mancini.

Em 1963, Edwards fez a comédia A Pantera Cor de Rosa. O filme foi o primeiro da parceria de Edwards com o comediante Peter Sellers, aqui no papel do desastrado Inspetor Clouseau. Originalmente, o filme deveria ser mais sério e o protagonista deveria ser o personagem Sir Charles Lytton. Porém, com a entrada de Peter Sellers, os planos mudaram. O Inspetor Clouseau de Sellers acabou roubando a cena de todos os demais atores sérios do filme, e Clouseau virou o protagonista nas continuações. Embora a relação entre Edwards e Sellers fosse de amor e ódio, ambos voltariam a trabalhar em mais cinco filmes.

Com o sucesso de A Pantera Cor de Rosa, Edwards decidiu se aventurar ainda mais no campo da comédia pastelão, com Um Tiro no Escuro (que tem uma sequência de abertura genial), A Corrida do Século e Um Convidado Bem Trapalhão. Esses dois últimos foram os seus primeiros fracassos de bilheteria(embora ambos tenham se tornado cultuados com o passar dos anos) e também foram os filmes que fizeram com que Edwards passasse a receber críticas por ultrapassar a barreira do bom gosto.

Em 1969, Edwards se casou pela segunda vez, com a atriz Julie Andrews. Edwards fez para ele o musical Lili, Minha Adorável Espiã, que foi um enorme fracasso de público e crítica, e acabou arruinando as carreiras de Edwards e Andrews. A primeira metade da década de 70 foi má para Edwards, que era prejudicado ainda mais pelas suas brigas com executivos de estúdios.

Edwards voltou a fazer sucesso apenas na segunda metade da década de 70, quando voltou com a parceria com Peter Sellers, cuja carreira também estava em baixa. Juntos, fizeram três filmes da série A Pantera Cor de Rosa, que foram sucessos de público. Em seguida, Edwards fez mais sucesso com três filmes que tiveram participação de Julie Andrews: Mulher Nota 10, em 1979, que transformou Bo Derek em símbolo sexual; S.O.B, poderosa crítica a Hollywood, em 1981; e com Vitor ou Vitória, uma comédia de erros sobre a identidade sexual, em 1982. Esses filmes recuperaram o prestígio de Edwards e Andrews com a crítica.

Porém, tudo voltou a decair com a morte de Peter Sellers em 1980. Edwards então, fez uma tática discutivel: fez A Trilha da Pantera Cor de Rosa em 1982, usando cenas de arquivo de A Nova Transa da Pantera Cor de Rosa. A viúva de Sellers processou os produtores e ganhou uma indenização. A partir de então, Edwards fez comédias que foram fracassos de público e crítica, incluindo mais dois filmes da série A Pantera Cor de Rosa, sem o personagem do Inspetor Clouseau.

Edwards parou de dirigir filmes a partir de 1993. Em 2004, ganhou o Oscar Honorário por suas contribuições ao cinema, e foi pegar o seu prêmio no melhor estilo de suas comédias: entrou pela lateral do palco numa cadeira de rodas motorizada em alta velocidade e atravessou a parede da extremidade oposta. Apesar das risadas e das lágrimas, muitos cinéfilos notaram que ele não citou Peter Sellers em seu discurso de agradecimento.

Faleceu em 16 de dezembro de 2010.