Você está em
  1. > Home
  2. > Artistas
  3. > Ingrid Bergman
931Número de Fãs

Nascimento: 29 de Agosto de 1915 (67 years)

Falecimento: 29 de Agosto de 1982

Estocolmo - Suécia

Nasceu na capital sueca, filha de mãe alemã e pai sueco. A sua mãe morreu quando tinha dois anos e pai, Justus Bergman, era um fotógrafo boémio que lhe transmitiu o amor pelo teatro.

Ingrid entrou para a Real Escola de Arte Dramática de Estocolmo e antes de terminar o curso estreou no cinema, levada por um caçador de talentos. Em dois anos participou de nove filmes na Suécia.
Já famosa no seu país, Ingrid foi levada para Hollywood em 1939 para estrelar a versão de um dos seus mais bem sucedidos filmes suecos, "Intermezzo". A partir daí, o mundo inteiro rendeu-se a uma grande atriz que tinha um estilo próprio que em Hollywood alguns diretores e produtores definiam com um glamour ao ar livre, que fazia com que ela interpretasse da mesma maneira vibrante tanto uma camponesa como uma princesa.
Bergman foi três vezes premiada com o Oscar, sendo duas como Melhor Atriz (principal) e uma como Melhor Atriz (coadjuvante/secundária). O primeiro Oscar veio em 1944 com "À Meia-Luz", o segundo em 1956 com "Anastácia, a Princesa Esquecida", e o terceiro em 1974 como uma solteirona retraída em "Assassinato no Orient Express". Participou em numerosos filmes, incluindo clássicos do cinema americano, como Casablanca, ou do italiano, como Stromboli.

Cena do filme Por quem os sinos dobram.
Casou-se em 1937 com Petter Lindström , com quem teve uma filha, Pia. Em 1949 divorciou-se e casou com o diretor italiano Roberto Rossellini, uma união que causou muita polêmica, pois ambos eram casados quando se apaixonaram e abandonaram as respectivas famílias para viverem juntos. Essa paixão fez com que Ingrid fosse acusada de adúltera e de mau exemplo para as mulheres americanas e levou-a a ficar anos sem filmar nos Estados Unidos. Com Rossellini teve três filhos: Roberto e as gêmeas Isotta Ingrid e Isabella, hoje a atriz Isabella Rossellini. Esse casamento durou até 1957, quando se divorciaram. Foi casada com Lars Schmidt de 1958 até 1975, quando também se divorciou.

Morreu no dia do seu aniversário, com 67 anos, depois de lutar seis anos contra um câncer nos seios e de fazer duas mastectomias. Em uma entrevista um ano antes de falecer, Ingrid disse que se recusava a se render à doença e que por isso continuava a fumar e a beber vinho e champanhe.

Premiações:

Recebeu 6 indicações ao Oscar da Academia para Melhor Atriz (principal), por suas atuações em "Por Quem os Sinos Dobram" (1943), "À Meia Luz" (1944), "Os Sinos de Santa Maria" (1945), "Joana D'Arc" (1948), "Anastacia, a Princesa Esquecida" (1956) e "Sonata de Outono" (1978). Venceu em 1944 e 1956.
Ganhou o Oscar da Academia para Melhor Atriz (coadjuvante/secundária), por sua atuação em "Assassinato no Orient Express" (1974).

Recebeu 2 indicações ao Golden Globe Award para Melhor Atriz (filme dramático), por suas atuações em "À Meia Luz" (1944) e "Os Sinos de Santa Maria" (1945). Venceu em 1944 e 1945.

Recebeu 2 indicações ao Golden Globe Award para Melhor Atriz (filme dramático), por suas atuações em "Anastacia, a Princesa Esquecida" (1956) e "Sonata de Outono" (1978). Venceu em 1956.

Recebeu uma indicação ao Golden Globe Award para Melhor Atriz (comédia ou musical) em cinema, por sua atuação em "Flor de Cacto" (1969).

Ganhou o Golden Globe Award para Melhor Atriz (minissérie ou filme) em televisão, por sua atuação em "A Woman Called Gloria" (1982).

Recebeu uma indicação ao BAFTA, na categoria de Melhor Atriz Estrangeira, por sua atuação em "A Morada da Sexta Felicidade" (1959).

Ganhou o BAFTA de Melhor Atriz (coadjuvante/secundária), por sua atuação em "Assassinato no Orient Express" (1974).

Ganhou um César honorário em 1976.

Mini-Biografia da Deusa:
Nascida em Estocolmo, perdeu a mãe aos 3 anos e o pai aos 13, indo morar com uma tia solteira, Ellen, e seis meses depois, com a morte desta, foi viver com seus tios paternos, Otto e Hulda. Aos 17 anos, após sua graduação no Colégio, decidiu tornar-se atriz, conseguindo uma ponta no filme sueco, "Landskamp". No ano seguinte, inscreveu-se no "Teatro Real de Arte Dramática" mas, pouco tempo depois, verificou que sua vocação não estava dirigida para o teatro e sim para o cinema, não concluindo o curso.
Em 1935, teve sua primeira boa oportunidade, ao trabalhar como atriz coadjuvante no filme "Munkbrogreven". No mesmo ano, participou ainda de outros três filmes suecos e, em 1936, teve seu primeiro papel principal em "Intermezzo", também sueco. Ao vê-la na tela, o produtor David O. Selznick enviou à Estocolmo um representante da Metro-Goldwyn-Mayer a fim de conseguir os direitos da história e tentar contratá-la para estrelar um remake em Hollywood. Antes de viajar para a Califórnia, Ingrid participou ainda de outros cinco filmes suecos.
Em 1937, casou-se em Londres com o Dr. Petter Lindström, de quem teve sua primeira filha, Pia Lindström. Em maio de 1939, chegou finalmente aos Estados Unidos para estrelar "Intermezzo", produzido pela Selznick International Pictures. O filme foi um sucesso, tendo recebido duas indicações ao Oscar. Além de sua beleza e de sua magnífica interpretação, Ingrid Bergman sentiu o reconhecimento de seu trabalho, tendo ainda sido considerada como a atriz mais versátil que a Indústria até então conhecera.
O início da 2ª Guerra Mundial fez com que ela e a família se fixassem nos EUA. Em 1942, o sucesso de "Casablanca" a deixou como uma das mais fabulosas atrizes de todos os tempos.
Ingrid voltou à Europa depois do escândalo provocado por seu "affair" com o diretor italiano, Roberto Rossellini, durante as filmagens de "Stromboli". No mesmo mês da estréia do filme, ela deu à luz Roberto. Uma semana depois, divorciou-se do Dr. Lindström e se casou com Rossellini no México. Em junho de 1952, deu à luz às gêmeas Isotta e Isabella Rossellini.
Entre 1951 e 1955, ela e o marido fizeram uma série de filmes, bem à frente de seu tempo, os quais não foram bem recebidos pela classe política conservadora e por líderes religiosos, principalmente dos EUA. Cansada e convencida de que não faria sucesso com os filmes de Rossellini, voltou triunfante à Hollywood com o filme "Anastacia, a Princesa Esquecida", em 1956, pelo qual recebeu seu 2º Oscar. O primeiro foi como Melhor Atriz pelo filme "À Meia Luz", de 1944.
Em 1957, divorciou-se de Rossellini e casou-se no ano seguinte com Lars Schmidt, um próspero empresário.
Em 1974, recebeu seu 3º Oscar por sua atuação em "Assassinato no Expresso Oriente". Em 1975, divorciou-se novamente. Em 1978, estrelou "Sonata de Outono" de Ingmar Bergman, provavelmente seu melhor filme, do ponto de vista artístico, e recebeu mais uma indicação ao Oscar, saída mais digna impossível, foi seu último filme no cinema.
Pouco tempo depois, descobriu os primeiros sintomas de um câncer de mama, sendo submetida a uma mastectomia. Faleceu em Londres no dia em que completou 67 anos de idade, após uma pequena festa de aniversário promovida pelos amigos.