Você está em
  1. > Home
  2. > Artistas
  3. > Renata Sorrah

Renata Sorrah

Nomes Alternativos: Renata Leonardo Pereira Sochaczewsk

290Número de Fãs

Nascimento: 21 de Fevereiro de 1947 (70 years)

Rio de Janeiro, Rio de Janeiro - Brasil

É uma atriz e também produtora teatral brasileira, filha de Miriam Pereira e de Peter Sochaczewski.
Renata foi para Los Angeles, nos Estados Unidos, em 1964, num programa de intercâmbio cultural, o AFS, e lá entrou para um curso de arte dramática. À época, a Califórnia vivia o auge do movimento hippie que, num processo radical de mudança, lutava pela ampla liberdade de expressão e pelo direito de cada um exercer a sua sexualidade sem culpa.
Como parte do curso, participou do elenco da peça Dura lex sed lex, de Oduvaldo Vianna Filho, na qual teve oportunidade de desempenhar vários papéis.
Ao retornar ao Brasil, em 1967, encontrou o meio teatral influenciado pelas idéias do movimento hippie. Embora não tenha sido ela própria uma hippie, adotou o visual dos integrantes do movimento e viajava seguidamente à praia de Arembepe, na Bahia, que era o lugar preferido dos hippies à época.
Neste período, cursou Psicologia, mas não chegou a se graduar, e ingressou no TUCA - Teatro Universitário Católico. Desde então, o teatro, onde alia a seu trabalho de atriz às funções de produtora, é sua paixão. Costuma dizer: "O palco é o meu prazer, como se nele eu soubesse mais que na vida ".
Sua primeira aparição na televisão foi em 1969, na Rede Tupi, na telenovela Um Gosto Amargo de Festa . Em 1970, Dias Gomes chamou-a para seu primeiro papel na Rede Globo, na telenovela Assim na Terra Como no Céu. Seguiram-se outros sucessos como O Casarão, Brilhante, Roda de Fogo, Vale Tudo, Pedra Sobre Pedra, A Indomada e Senhora do Destino, entre outros.
A atriz fez uma participação especial no clipe de "O Segundo Sol", de Cássia Eller, em 1999.
Em 1988, Renata consagrou-se com um de seus personagens mais marcantes nas telenovelas, o da alcoólatra Heleninha Roitman, em Vale Tudo. Filha da vilã sem escrúpulos Odete Rotiman, personagem de Beatriz Segall, Heleninha culpava-se pela morte do irmão num acidente de carro em que ela supostamente estava dirigindo. O álcool foi a válvula de escape, mas destruiu seu casamento e foi o responsável por inúmeros escândalos e barracos que a personagem proporcionou durante os oito meses em que a novela foi ar. No final, descobre-se que sua mãe, Odete, é quem dirigia o carro no acidente que matou o irmão de Heleninha e deixou a filha pensando ser a culpada. A personagem fez tanto sucesso que mesmo vinte anos depois a palavra "heleninha" ainda é sinônimo, para vários grupos de pessoas, de pessoa alcoolizada.
Mas foi em 2004 que Renata interpretou seu melhor trabalhp na TV: A vilã Nazaré Tedesco em Senhora do Destino, a personagem, apesar de seu mau caratismo (ou por causa dele) é até hoje lembrada e adorada pelo público e com bastante respeito da crítica especializada, que elevou Renata ao casting das mais cotadas atrizes do país. Entre outras maldades da personagem: o sequestro de Lindalva/Isabel (Carolina Dieckmann), o assassinato de seu marido e de Djenane (Elizângela), além de atormentar a vida de sua enteada Cláudia (Leandra Leal). No final, Nazaré se atirou de uma ponte na cidade de Paulo Afonso, na Bahia, a uma altura de 90 metros.
Renata é tia dos atores Deborah Evelyn e Carlos Evelyn, filhos da sua irmã mais velha Suzana. A atriz tem ainda um irmão mais velho chamado Antônio Cláudio. Foi casada com os atores Carlos Vereza e Marcos Paulo, pai da sua única filha: Mariana, e com o diretor Euclydes Marinho. Teve também muitos romances, entre eles com os atores André Gonçalves, Roberto Bonfim, Paulo Coelho e a cantora Maria Bethânia. É avó, e Marcos Paulo avô, de um menino chamado Miguel, nascido em novembro.