Este site usa cookies para oferecer a melhor experiência possível. Ao navegar em nosso site, você concorda com o uso de cookies.

Se você precisar de mais informações e / ou não quiser que os cookies sejam colocados ao usar o site, visite a página da Política de Privacidade.

    Você está em
  1. > Home
  2. > Artistas
  3. > Sidney Poitier
344Número de Fãs

Nascimento: 20 de Fevereiro de 1927 (91 years)

Miami, Florida - Estados Unidos da América

Poitier cresceu em Cat Island, nas Bahamas. Em 1963, fez história ao se tornar o primeiro Ator Negro da história a receber o prêmio Oscar de Melhor Ator Principal por sua performance no drama ''Uma Voz nas Sombras/Lilies of the Field'' em 1963. Em 2002 se tornou o primeiro artista negro a receber um Oscar Honorário pelo conjunto da obra. É pai da também atriz Sydney Tamiia Poitier.

Nascido durante uma viagem dos pais a Miami, foi nas Bahamas que cresceu, numa família de agricultores cuja apanha do tomate era o principal sustento. O regresso a esse local de nascimento aconteceria muito cedo, quando deixou a escola e o pai o enviou para junto de um irmão mais velho, que lá vivia.

Poitier tinha 15 anos quando conheceu o racismo institucional de Miami, e não suportando aquele lugar "anti-humano", como lhe chamou, apressou-se a rumar sozinho a Nova Iorque. Os primeiros passos desta independência não foram rosas: começou por lavar pratos, e depois de um casting no American Negro Theatre, em que foi rejeitado pelo sotaque e pelas dificuldades de leitura, começou a treinar a voz imitando os locutores de rádio...

Pouco depois conseguiria um emprego na manutenção desse teatro, onde a troco de uma parte do ordenado tinha aulas de interpretação. Um dia, a sorte piscou-lhe o olho, e Poitier substituiu o ator Harry Belafonte numa peça. Bastariam mais dois anos de teatro para os produtores de cinema repararem nele.

Falsa Acusação (1950) é a sua primeira presença no grande ecrã, no papel de um médico. Sidney Poitier granjeou desde o princípio um respeito que lhe permitiria escolher, ao longo da carreira, as personagens que considerava adequadas à ideia do seu perfil (chegou a mentir na idade a Joseph L. Mankiewicz para conseguir o lugar neste filme, dizendo ter 27 anos, quando tinha só 22).

Era preciso quebrar o modelo servil das personagens negras, aquele que fez da atriz Hattie McDaniel, a criada Mammy de ...E o Vento Levou (1939), uma mulher simultaneamente marcante e irrelevante: a primeira oscarizada num papel secundário (mantida ao fundo da sala, separada do elenco durante a cerimônia), que agradeceu com emocionada solicitude perante uma plateia condescendente. Era apenas um dos seus 74 papéis de criada...

Poitier não aceitou manter esta tipificação dos afro-americanos, colaborando antes com projetos e cineastas que deixassem a questão racial emergir em novos contextos e com novas oportunidades narrativas.

Os Audaciosos (1958), assinado por Stanley Kramer, foi um desses filmes, e a sua primeira nomeação ao Oscar - a primeira de qualquer negro na categoria de melhor ator. Daí à estatueta dourada foi um salto. Poitier estava a refinar "a medida de um homem" (título da autobiografia), que teve o auge em 1967, com três filmes: O Ódio Que Gerou o Amor, de James Clavell, No Calor da Noite, de Norman Jewison, e o célebre Adivinha Quem Vem Jantar, de Kramer, com Katharine Hepburn e Spencer Tracy (no derradeiro papel).