Você está em
  1. > Home
  2. > Artistas
  3. > Cary Grant
784Número de Fãs

Nascimento: 18 de Janeiro de 1904 (82 years)

Falecimento: 29 de Novembro de 1986

Horfield/ Bristol - Reino Unido da Grã-Bretanha e Irlanda do Norte

Archibald Alexander Leach.
Quando criança, Archibald costumava ser vestido como uma menina pela mãe, o que acabaria lhe causando dúvidas quanto à sua sexualidade.[1] Aos seis anos, o pai o levou para assistir a um espetáculo de pantomima e ele adorou. O produtor, Robert Lomas, precisava de mais uma criança e o pai assinou uma guarda provisória, entregando-lhe o menino. Assim, Archie foi em companhia de Lomas para Berlim, na Alemanha. A trupe foi vista pelo empresário americano Jesse Lasky, que os convidou para se apresentarem em Nova Iorque. Aos sete anos, o menino se viu a bordo do Lusitânia, com destino à Broadway.
Aos treze Archie deixou a escola e, forjando a assinatura do pai, conseguiu entrar para a trupe do comediante Bob Pender. Por dois anos apresentou-se em diversas cidades da Inglaterra até que, em julho de 1920, aos dezesseis anos, foi uma das oito pessoas escolhidas por Pender para uma bem-sucedida turnê de dois anos pelos Estados Unidos, ao fim da qual decidiu não retornar à Inglaterra.
Trabalhou então como lanterninha de cinema, vendeu gravatas e fez espetáculos mambembes de variedades. Ao se mudar para Hollywood, sua bela aparência chamou a atenção de Ben Schulberg, da Paramount. Seu nome, porém, era um obstáculo; era urgente mudá-lo, e foi assim que nasceu "Cary Grant".
A estréia na carreira artística veio em 1932, no obscuro musical Esposa Improvisada, mas a primeira grande oportunidade chegaria com o diretor Josef von Stenberg, que o escolheu para fazer par com Marlene Dietrich em Vênus Loira. Em seguida, atuou em cerca de vinte filmes até chegar ao estrelato em 1935, com o filme Vivendo em Dúvida, ao lado de Katharine Hepburn.
A fama internacional ele a conquistou em 1946, quando atuou ao lado de Ingrid Bergman no filme de Alfred Hitchcock, Interlúdio (Notorious), fama consolidada em 1957 com Tarde Demais para Esquecer. Nesse ano, quando se achava casado com a atriz Betsy Drake, apaixonou-se perdidamente por Sophia Loren, mas esta não o quis por já se achar seriamente envolvida com o produtor italiano Carlo Ponti. Em seguida, casou-se a atriz Dyan Cannon, sua quarta esposa, da qual se divorciou em 1976. Teve com ela uma filha, Jennifer Grant. Em 15 de abril de 1981, Cary casou-se pela última vez, com a atriz Barbara Harris.
Ele foi indicado duas vezes ao Oscar nos anos 40.
Cary Grant quase morreu no palco. Teve uma hemorragia cerebral fulminante ao sair do Teatro Adler, em Davenport, Iowa, onde ensaiava o espetáculo Uma conversa com Cary, aos 82 anos. Seu corpo foi levado para Los Angeles onde, conforme sua vontade, foi cremado sem qualquer cerimônia fúnebre.
Grant avisou a esposa sobre as coisas horríveis que diriam sobre ele depois de morto. "Os mortos não podem se defender", escreveu. "Mesmo que os mais íntimos os defendam das invencionices, o estrago permanece. Sempre disse à minha mulher e à minha filha para esperarem o pior sobre mim". Ele não avisara em vão e sabia sobre o que falariam. Para sua sorte, no cinema o que conta é o que aparece na tela. E nesta ele será sempre o galã irrepreensível de Grace Kelly e Audrey Hepburn.