Você está em
  1. > Home
  2. > Artistas
  3. > Bette Davis
2056Número de Fãs

Nascimento: 5 de Abril de 1908 (81 years)

Falecimento: 6 de Outubro de 1989

Lowell, Massachussets - Estados Unidos da América

Bette Davis, nome artístico de Ruth Elizabeth Davis foi uma atriz norte-americana.

Após alguns anos trabalhando no teatro, Davis mudou-se para Hollywood em 1930, onde interpretou papéis menores em cinco filmes da produtora Universal Studios. Em 1932, por influência do ator veterano George Arliss, seu antigo professor de interpretação, ela foi contratada pela Warner Bros., onde permaneceu até 1950, tornando-se uma das mais populares atrizes da época.

Primeira atriz a receber dez indicações ao Oscar, Davis foi vencedora de duas estatuetas, por Perigosa (1935) e Jezebel (1938). Ao lado do ator John Garfield, fundou e comandou a Hollywood Canteen, que angariava fundos e entretia soldados norte-americanos durante a segunda guerra mundial. Davis foi a primeira mulher a presidir a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas.

Após trabalhar em peças na Broadway, Davis mudou-se para Hollywood em 1930, onde obteve pouco êxito com papéis em produções da Universal Studios. Foi contratada pela Warner Bros. em 1932, estabelecendo uma bem-sucedida carreira através de várias atuações aclamadas pela crítica. Em 1937 tentou se libertar do contrato e, apesar de ter perdido um processo contra a produtora que foi amplamente explorado pela mídia, atingiu o período de maior sucesso de sua carreira. Até o final dos anos 1940, Davis foi uma das mais célebres protagonistas do cinema americano, reconhecida por seu estilo forte e intenso. Ganhou uma reputação de perfeccionista muito combativa, sendo que embates com executivos dos estúdios, diretores de cinema e outras estrelas eram frequentemente noticiados pela mídia. Seu estilo franco, sua voz distinta e o cigarro sempre a mão contribuíram para a construção de uma imagem pública muito imitada e satirizada.

Após uma série de aparições em filmes pouco memoráveis, Davis convenceu os executivos da Warner Bros. a emprestá-la a um estúdio rival, o RKO Pictures, para a produção de Of Human Bondage (br:Escravos do Desejo), em 1934. O filme, uma adpatação do romance homônimo do britânico W. Somerset Maugham, estrelada por Leslie Howard, fez grande sucesso com a crítica. A revista Life escreveu que a Mildred Rogers de Davis talvez fosse "a melhor interpretação de uma atriz americana registrada em filme". Quando o trabalho não foi indicado ao Oscar, a atriz Norma Shearer iniciou uma campanha por sua nomeação. Pressionada, a academia alterou as regras para a votação do ano, permitindo que nomes não presentes nas cédulas recebessem votos. Ainda assim, o Oscar de melhor atriz de 1934 foi entregue a Claudette Colbert, por Aconteceu Naquela Noite.

No ano seguinte, finalmente reconhecendo o potencial de Davis, a Warner Bros. Deu-lhe o papel principal em Dangerous (br: Perigosa). Segundo o jornal The New York Times, Davis estaria se tornando uma das mais interessantes atrizes do cinema, foi premiada pela primeira vez com o Oscar.

Em 1936, Davis voltou a atuar ao lado de Leslie Howard e Humphrey Bogart em The Petrified Forest (br: A Floresta Petrificada). Apesar do sucesso do filme, Davis voltou a ser usada em produções que ela julgava medíocres, como Satan Met a Lady. Convencida de que sua carreira estava sendo prejudicada, Davis abandonou a Warner Bros. antes do término de seu contrato, planejando atuar em dois filmes na Inglaterra. O caso foi levado à corte judicial inglesa que decidiu que a atriz deveria honrar seu contrato com a empresa.
Ao contrário do que se poderia imaginar, a briga judicial terminou por beneficiar Davis, que passou a ser vista com mais respeito pelo presidente da Warner Bros., Jack Warner. Em 1937, Davis estrelou Marked Woman (br: Mulher Marcada) ao lado de Humphrey Bogart. A produção foi baseada no caso real de Charles "Lucky" Luciano, mafioso levado à justiça graças ao testemunho de um grupo de prostitutas. E rendeu a Davis novos elogios da crítica; e o prêmio de Melhor Atriz no Festival de Veneza.

Em 1938, Bette Davis interpretou um dos papéis que mais marcariam sua carreira, Julie Marsden, em Jezebel (pt: Jezebel, a Insubmissa - br: Jezebel). Durante as filmagens, Davis iniciou um conturbado relacionamento com o diretor William Wyler. Posteriormente, ela admitiria que Wyler foi "o grande amor de minha vida". Pelo filme, Bette Davis recebeu seu segundo Oscar de melhor atriz.

Ela passaria a figurar entre as dez estrelas mais bem pagas de Hollywood e seria indicada ao Oscar de melhor atriz por cinco anos consecutivos, um recorde nunca igualado

No ano seguinte, Davis estrelou quatro produções de grande sucesso. Por sua interpretação como a herdeira fadada à morte em Dark Victory (pt: Vitória Negra - br:Vitória Amarga), foi indicada pela terceira vez ao Oscar de melhor atriz. Davis mais tarde diria que este era seu filme favorito entre os que protagonizou. A atriz sentia-se particularmente orgulhosa por ter convencido Jack Warner, que não acreditava que uma história mórbida pudesse ter sucesso, a investir na produção. No meses seguintes, ela apareceu em The Old Maid (pt: A Ama Velha - br: Eu Soube Amar), Juarez e The Private Lives of Elizabeth and Essex (pt: Isabel de Inglaterra - br: Meu Reino por um Amor). Neste último, seu primeiro filme colorido, Davis interpretou pela primeira vez a Rainha Elizabeth I.

Nesta época, Davis era a atriz que mais dava lucro a Warner Brothers. Em 1940 ela estreou dois filmes: All This and Heaven Too (br: Tudo isso e o céu também), que naquele momento se tornou o seu filme mais lucrativo, e The Letter (pt/br: A Carta), considerado o melhor filme do ano pelo jornal Hollywood Reporter. Por este último trabalho, uma personagem adúltera e assassina, Bette Davis foi novamente indicada ao Oscar. Neste mesmo ano, ela se casaria com Arthur Farnsworth.
No ano seguinte, Davis se tornaria a primeira mulher presidente da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, mas antagonizou com membros do comitê por suas propostas radicais. Com a iminência da guerra na Europa, Davis propôs que a cerimônia do Oscar não fosse mais um banquete e sim em um teatro com entradas cobradas para coloborar com fundos de ajuda aos britânicos. Com a desaprovação e resistência do comitê, Davis renunciou ao cargo de presidente. Substituída por Jean Hersholt, ele acabou fazendo as mudanças que ela havia proposto anteriormente.

Ainda em 1941, Bette Davis seria dirigida por William Wyler em The Little Foxes (pt: A raposa matreira - br: Pérfida) que lhe rendeu mais uma indicação ao Oscar. Depois deste filme ela e o diretor jamais trabalhariam juntos novamente. Neste mesmo ano ganhou Golden Apple Awards.

Foi indicada ao Oscar em cinco anos consecutivos, de 1938 a 1942, sendo a atual recordista de indicações seguidas ao lado de Greer Garson.

Em 1942, filmou Now, Voyager (Estranha passageira). Quando foi convidada a fazer parte do elenco, inicialmente não demonstrou muito interesse, porém o produtor Hal B. Wallis argumentou que a audiência feminina precisava de dramas românticos para distraí-las da realidade da vida. O filme se tornou um dos mais conhecidos personagens "femininos" de sua carreira e lhe valeu mais uma indicação ao Oscar.

Em 1944, Davis filmou Mr. Skeffington (Vaidosa); foi novamente indicada ao Oscar.

Em 1950, Davis filmou All About Eve (pt: Eva - br:A malvada) cujo roteiro descreveu como o melhor que já tinha lido em sua vida. O filme foi co-estrelado pela atriz Anne Baxter. Durante o filme, Davis conheceu e começou um romance com ator Gary Merrill com quem se casaria logo depois. Pelo filme, Davis foi indicada ao Oscar mas não ganhou. Porém ganhou o prêmio de melhor atriz no Festival de Cannes, o Italian National Syndicate of Film Journalists; o New York Film Critics Circle Awards; todos por este trabalho. No mesmo ano, Davis se divorciou oficialmente de William Sherry e dias depois se casou com Gary Merrill. Com o consentimento de Sherry, Merrill adotou Barbara. E logo após o dois adotaram uma menina chamada Margot.

Em 1952, Davis seria novamente indicada ao Oscar por sua atuação em The Star (Lágrimas amargas). No mesmo ano, Davis e Merrill adotaram mais uma criança, um menino chamado Michael. Davis foi operada de osteomielite. Margot, sua filha adotiva, foi diagnosticada com lesões cerebrais e foi internada em uma instituição.

Em 1962, ela atuou junto a Glenn Ford e Ann-Margret no filme de Frank Capra, A Pocketful of Miracles. No mesmo ano apareceu no filme What Ever Happened to Baby Jane? (O que terá acontecido a Baby Jane?) junto a sua rival Joan Crawford, um filme de terror dirigido por Robert Aldrich pelo qual, Davis recebeu sua última indicação ao Oscar e novamente recebeu o Golden Apple Awards.

O diretor Robert Aldrich chamou Davis para atuar em 1964 no filme ''Com a Maldade na Alma/Hush… Hush, Sweet Charlotte'' pensando em reunir Davis e Crawford novamente no elenco. Mas Crawford recusou alegando doença e foi substituída por Olivia de Havilland, de quem Davis era amiga, o que fez com que pelo menos as filmagens deste fossem feitas em clima de paz. O filme fez um considerável sucesso e chamou atenção por seu elenco de veteranos. Por este filme ela ganhou o Laurel Awards de Melhor Atriz.

No final da década de 1960, Davis ainda fez ''Nas Garras do Ódio/The Nanny'' em 1965 e ''O Aniversário/The Anniversary''', em 1968, ambos sem muito sucesso.

No começo dos anos 1970, Davis foi convidada a aparecer no palco no Great Ladies of the American Cinema. Em cinco sucessivas noites, uma diferente estrela de cinema discutia sua carreira e respondia questões do público. Outras atrizes convidadas foram Myrna Loy, Rosalind Russell, Lana Turner e Joan Crawford.
Apareceu no palco na produção Miss Moffat, uma adaptação musical de The Corn is Green. Filmou como (coadjuvante/secundária) no filme ''A Mansão Macabra/Burnt Offerings''. em 1976. Mas entrou em colisão com Karen Black, mesmo assim levou um prêmio no Academy of Science Fiction, Fantasy & Horror Films, USA.

Em 1977, Davis tornou-se a primeira mulher a receber do American Film Institute (Instituto de Cinema Norte-Americano) o prêmio por sua obra. Após o prêmio, recebeu várias propostas de trabalho. Em 1978, atuou na minissérie para televisão, ''The Dark Secret of Harvest Home'' e no filme Death on the Nile (Morte sobre o Nilo) baseado no livro de mistério de Agatha Christie. Em 1979 ganhou o Emmy (o Oscar da TV), por sua atuação no filme para televisão ''Duas Estranhas - História de Mãe e Filha/Strangers: The Story of a Mother and Daughter; foi ainda indicada mais três vezes ao Emmy.

Seu nome começou a ficar mais conhecido entre os mais jovens da época, após Kim Carnes fazer sucesso mundial com a canção Bette Davis Eyes, em 1981.

Ela continuou aparecendo na televisão, como na minissérie Family Reunion de 1981, no qual pode contracenar com seu neto J. Ashley Hyman. Também apareceu no filme televisivo ''Um Piano Para Mrs. Cimino/A Piano for Mrs. Cimino de 1982, por este ganhou um prêmio no festival de Monte-Carlo.

Em 1986 Davis apareceu num filme para televisão chamado ''Num Certo Domingo/As Summers Die'', onde robou a cena e para o cinema em 1987, fez ''Baleias de Agosto The Whales of August'', onde recebeu elogios por parte da crítica, numa grande atuação. Seu último filme foi ''A Madrasta /Wicked Stepmother'', de 1989.

Ainda em 1989, em viagem à Espanha para ser homenageada no Festival Internacional de Cinema de San Sebastián, Davis teve problemas de saúde. Debilitada para fazer uma longa viagem de volta aos Estados Unidos, Davis viajou até a França onde foi internada no hospital americano de Neuilly-sur-Seine. Ela morreu no dia 6 de outubro e, em sua sepultura está escrito: She did it the hard way.

Após a sua morte o diretor Steven Spielberg comprou os dois Oscares ganhos por Bette Davis em leilões ocorridos, entregando ambas as estatuetas para que ficassem aos cuidados da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas.